Acessibilidade logo

Acessibilidade

bat-papo

Fale com a Prefeitura

  • *Campos obrigatórios
  • Ao iniciar um contato, você concorda com a Política de privacidade

  • ...Ou se preferir

  • Ligue para nós

    (77) 3455-1412

  • Ou seja atendido presencialmente

    Segunda a sexta-feira, das 08:00 às 12:00 e das 14:00 às 17:00 horas.

    Rua Rui Barbosa, 26 - Centro - Caculé - Ba

  • Outros meios de contato

Em conformidade com:

Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente
SEMEIA REALIZA PALESTRA COM PAULO SUASSUNA SOBRE CULTIVO DA PALMA
30/09/2021

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento, da Agricultura e do Meio Ambiente (SEMEIA) realizou na última quinta-feira (23) no salão da Câmara Municipal, um encontro entre agricultores e agricultoras para tratar sobre técnicas voltadas ao manejo da palma. A palestra foi ministrada pelo Engenheiro Agrônomo, Paulo Suassuna, que além da parte teórica também submeteu os participantes a uma aula prática que foi realizada no Colégio Municipal Prof. Vespasiano Filho. 

Para Paulo, a palma é um produto nobre e deve ser explorado com mais eficiência nas regiões semiáridas. “A palma é um alimento muito rico para os animais e pode ser produzido em alta escala, se for plantado de forma adequada. É o ouro do sertão, que pode ser oferecido para alimentar os animais durante o ano todo”, afirmou.

De acordo com Suassuna, quando a palma é cultivada com um menor espaço de uma unidade para outra, é possível obter uma produtividade que varia de 10 a 12 vezes maior que o método tradicional. “Em apenas um ano e meio é possível obter 476 toneladas de palma por hectare. Já pelo método com o espaçamento tradicional, se produz em torno de 80 toneladas por hectare após três anos. Isso passa a viabilizar o pequeno módulo rural do semi-árido”, conta o pesquisador.

Viabilidade para o pequeno produtor — De acordo com casos acompanhados pelo pesquisador Paulo Suassuna, com apenas meio hectare de palma cultivada pelo método do adensamento, é possível alimentar dez vacas de leite o ano todo. “Há um exemplo no Sertão da Paraíba em que uma família sobrevive com a venda do leite de cinco cabras, e elas são alimentadas com palma forrageira”, revela Suassuna.

Além da palma, o gado de leite deve ser alimentado também com feno, feito a partir da palha do milho ou do sorgo. “Mas como a palma já representa 75% da alimentação animal, o produtor só vai precisar organizar esses 25% restantes”, explica Suassuna. Além dos produtores e do secretário de Agricultura e Meio Ambiente, Joaquim Silva, estavam atentos à palestra alunos da escola agrícola. De acordo com eles, é importante que conheçam na prática esses exemplos para que possam se tornar multiplicadores do conhecimento.



Autor: ASCOM